Time que está ganhando não se mexe.


A crise agora é oficial. Os números assustam a indústria e os prestadores de serviço. Sem dúvida, é bem provável que poucos times estejam ganhando. Se o seu jogador ainda não foi escalado, ou está indo para o banco de reservas, então está na hora de um plano beta. A crise vai durar para sempre? Acreditamos que não. Mas medidas precisam ser tomadas em todas as frentes de trabalho.

Se você trabalha com a venda de produtos, está na hora de pensar se conhece as verdadeiras necessidades de seus compradores. Reestudar o leque de produtos oferecidos, melhorar a qualidade, otimizar o uso de recursos e lembrar sempre que, muitas vezes, o item mais difícil de repor é a mão de obra especializada (o corpo de vendedores, aqueles que conhecem e resolvem seus problemas diariamente).

Diante disso, preparamos uma lista de recomendações e esperamos, com isso, ajudar a refletir sobre o atual momento e a planejar passos certeiros para sua empresa. A partir disso, você pode fazer as adaptações convenientes, preparando-se da melhor maneira para os dias que virão.

Para quem oferece produtos

1) Lista de produtos: deve ser simples e objetiva. Pode ser feita no Excel, em uma planilha que organize informações como nome, código, custo final, valor de venda (estimado com revenda), quantidade, lucro estimado, equipamentos e fornecedores. Essa lista permite controlar, por exemplo, a ocorrência de produtos que tenham grande margem entre valor de produção e valor obtido com vendas, para saber se é bom mantê-lo em linha ou eliminá-lo.

2) Lista de setores e ociosidade: é imprescindível saber quais setores estão ociosos, assim como saber quais são os pontos fortes e os pontos fracos de cada uma deles. Converse com gerentes sobre as linhas de trabalho, observando a situação de forma clara e sem muito tecnicismo. Faça uma lista desses dados e cruze com a lista de produtos para obter um arranjo de produção mais acertivo.

3) Quais dos produtos em linha tem previsão de queda na demanda no período dos próximos seis meses a um ano? Sim, muitos produtos tem aviso prévio. Acessórios para celulares, por exemplo. O lançamento de novos modelos, com itens diferentes, pode afetar nas vendas e isso não precisa ser uma surpresa.

4) Existem formas de se reduzir o custo final dos produtos, como terceirização, redução de estoque e mudanças estruturais. Mas sempre vale a pena promover reuniões com a equipe de produção para saber quais ajustes precisam ser feitos. Empresas são como pessoas e, de tempos em tempos, precisam passar por readequações.

5) Trade de entrega: aproveite o momento para avaliar se é o melhor que você pode oferecer. Tente perceber se a empresa que o realiza não deixou o trabalho cair na rotina, deixando de lado a excelência. Empenhe-se em entender a legislação relacionada aos transportes e quais as novas opções de entrega disponíveis no mercado.

6) Lista azul: os funcionários chave. Relação daqueles que não podem faltar na empresa. Ou seja, independente do que acontecer (cortes ou redução da carga de trabalho) eles não podem faltar.

Para quem oferece serviços

1) Lista de serviços: faça uma relação de todos os serviços que a sua empresa presta. Organize informações como tipos de clientes, modo de atendimento e concorrentes. Uma lista assim ajuda a conhecer o cenário e a definir os esforços que devem ser investidos, indicando como podemos melhorar.

2) Setor de atendimento: o ideal seria que todos os seus funcionários compartilhassem os mesmos conhecimentos sobre os serviços oferecidos. Como isso é difícil de acontecer, promova a qualificação permanente. Selecione os experts de cada área e realize encontros para que possam aprender uns com os outros, trocando informações de seu cotidiano. Seus clientes vão perceber a diferença e, certamente, ficarão muito satisfeitos.

3) Ambiente interno: como os prestadores de serviço, geralmente, não precisam de espaço para grades estoques, a empresa dedica seu espaço para trabalho e convívio. Cada diretor tem sua sala? Se não tiver, tome isso como vantagem. Trabalhar próximo de outras pessoas pode contribuir muito para a qualidade do trabalho, ajudando a entender quais processos devem ser melhorados. De quebra, pode ajudar a manter os funcionários focados, devido à presença do chefe.

4) Ponto de venda: depois de decidir que o espaço pode ser otimizado e o escritório não precisa ser tão grande, que tal repensar o seu endereço? Será que precisa estar no bairro que tem o metro quadrado mais caro da cidade? Você pode se surpreender ao descobrir que locais vizinhos possuem valores de metragem mais em conta. Afinal, gasto é como unha; se não cortarmos, ele vai crescer.

Então, as dicas foram dadas. Vamos colocá-las em prática? Talvez não consiga seguir todas as recomendações. O importante é se permitir fazer as reflexões que sugerimos, pois um passo em direção à sobrevivência de uma empresa é sempre muito importante.

A sociedade é um organismo vivo e interligado pela rede de compras de produtos e serviços. Qualquer empresa que encolha ou venha a falir, está lançando mão de uma corrente no elo que mantém a máquina viva. Cedo ou tarde, não importa o que você faça, seu negócio vai ser afetado pelas questões sociais que vigoram em nosso tempo. Por isso, pense bem e prepare-se.

Otécio Chiquito Junior

Sócio-fundador da Chetto Comunicação


Destaque
Posts recentes